segunda-feira, 24 de abril de 2017

Esta noite



Pensei varias vezes em uma forma de descrever como me sinto.
Medo corre por meu corpo, todos meus pelos parecem ter vida própria, desesperados, mente em disparada, meus olhos precorrem toda sala branca, sua musica dói minha alma. 
Tento sorrir, acho que o sorriso parece mais sofrido que meu choro. 
Seus olhos, deixo com mais medo, meu medo não é de morrer e sim de te deixar !
Luzes verdes, minha pele sem cor, toda cidade canta, caminhamos nus.
Seus carros passam na velocidade impecável de uma foto, 
minhas perguntas são esclarecidas pouco a pouco. 
Seu choro não me causa nenhuma sensação, sei que tenho que voltar.
Passeio relatando toda minha aventura, sua atenção me faz dizer a verdade.
Nasci de novo para morrer, porem nesta aventura passei mais perto de você.
Será que me apresentei sem segredos?
Sua pele está tão bonita nem me lembro como era seu rosto da ultima vez que o vi.
Acenda a luz e aproxime-se.
Não vou adormecer. 
Vou ficar e contar todas as minhas aventuras, todas as cidades que conheci,
quero falar dos lugares que estivemos juntos e dos que fui sem sua companhia. 
Falar de todas as vezes que nasci e também de minhas mortes, longas caminhadas ao fim de tarde. Lembrar que ouvi sua respiração quando velava seu sono e nem sentias minha presença.
Meu medo simples meus amores verdadeiros. 
Minhas noites frias em varias partes do mundo. 
Idas e vindas tentando te contar coisas simples, relatos corriqueiros. Não acenda a luz e volte a dormir


Fatos e relatos, destinos perdidos pelo caminho.
Noites de sono perdias, simples lembranças, do que não podia mudar.
Estruturas construídas por sangue e suor, nem recompensa nem medo.
Dois caminhos, minha tristeza não e mesma da volta, um histórico triste de verdades perdias.
Desprezado tempo de amores inacabados e justiça presente.
Realeza simples, passos sofridos logo ao acordar.
Todos os dias quando caminhava via um casal de namorados, tristes juntos!
As luzes da cidade apagaram mais cedo que esperava, na chuva fina que cai quando o dia 

Dias de medo, tardes sem espectativas
lavo minhas vestes em aguas sujas, constantes . 
Meu corpo destemido é vencido. 
poucas verdades doem tanto. 
Simplório porem real.
Termino inesperado lamentos perdidos 
Onde encontrar um recomeço ?
Direciono meu olhar ao céu, sem respostas. 
O sorriso foi arrancado sem medo ou vergonha. 
Acordando mais cedo saiu as pressas esqueceu o caminho de volta. 
Verdades simples derramada em minha face, meu choro grita percorre meu corpo.
Anotações esquecidas simples relatos de outros tempos.
Posso desaparecer em segundos, poucas vestes cobrem meu corpo, minha fala vazia. 
O coração aprimorado e minha musica sofre mais. 
Amargo sangue que corre em minhas veias.
Sono perdido em vão, não fez nada em meu favor.
Gritos pela madrugada de angustia e dor, pessoas felizes não sabem anoitecer.
E meu sono vem, toma meu corpo minha mente e minhas verdades. 
Tentei viver o presente, em alguns minutos o presente foi esquecido.
Oque fazer ?
Nunca tenho as respostas …
Meu choro não vale no passado, minhas verdades só valem hoje!


Vale a pena lutar por causas perdidas ?
Vou subir mais alto pra depois cair?
Amar sem saber se sou correspondido.
Faço indagação;
Não terei respostas. 
Procuro no mais intimo do meu ser a resposta..
Sempre escolho o caminho mais doloroso, acho que meu coração tem pré disposição a sofrer.
Minha mente vazia me prega peças.
Qual o motivo de bater em uma porta que está aberta?
Não posso voltar no tempo nas ruas que já passei. 
Nunca serei feliz por um dia inteiro.
Vale lutar pelo que não conhecemos ?
O universo brinca com meu coração.
Minhas possibilidades se vão a cada segundo.


            
Nas reviravoltas do caminho perdido.
Perdemos muitas vezes!
Cansado da batalha.
Meu coração se destrói.
 Não precisa de armas ou veneno, por si só faz  chover !
A culpa a fúria e a dor.
Vergonha do que se tornou.
Sem máscaras e mentiras.
Desvendado, a verdade é dolorosa.
Saudades de quando não me conhecia.
Quando não chegava ao meu limite!
Hoje em meu limite temo a fera que sou.
Acuado fugindo e com medo, tantas verdades escondidas.
Quero ir ao fim do mundo.
Voltar ao começo.
Apenas sonhos !

Hoje serei eu o rio.
Serei o vento,
O amanhecer
No despertar sem sentido de um novo dia.
Serei mais do mesmo .
O retorno do que fui ontem!

Das mentiras contadas na minha infância, algumas me faziam mais feliz do que a dor das verdades.
Sepulturas e lagrimas, pedras e facas.
Romances em romances.
Ilusoes de que eu seria melhor que os outros já foram.
Sou mais do mesmo.
Mesmo erros que acusei.
Não, vejo alem das nuvens e não aprendi a voar.

Ser forte e corajoso é serguir o roteiro .
Trabalhar forte ser resistente as dores do dia a dia .
Ser bravo é saber que nao sou perfeito e nunca vou ser.
O que tenho nunca vai ser o bastante.

 Crescer é entender que as vezes as pessoas vao te abraçar e sorrir, mais no fundo elas gostariam de roubar sua alma, e voce vai ter que se segurar e apenas sorrir.
E vai haver aqueles dias em que ira olhar para o espelho e perguntar " quem é voce?" .
Vai vagar pela vida em busca de algo que te satisfaça ou te dê prazer e nada vai ser suficiente.

Os sonhos de se tornar um super herói eram mentiras, um heroi de verdade paga as contas em dia,
Cuida da casa e tem um bom trabalho, e está satisfeiro com tudo.
Conheço poucos herois hoje em dia.
As pessoas que mais admiro hoje seguindo o rio da vida, nao são perfeitas, longe disso.

Quantas vezes critiquei erro de meus pais e irmãos e hoje me vejo no banco dos réus.
Corri para nao olhar para meus erros, nao tem saida eles vem e batem no meu rosto sem piedade.
Demorei para entender que as palavras podem ferir a alma de alguém;
Que usalas corretamente é importante, você nao sabe a importancia que tem. Ate que nao tem  mais o tempo de dizer.
Estou por um fio; E as vezes penso que ja  rompeu.
O que me resta é pedir perdão e seguir em frente .
E entender que hoje sou meu pai, minha mãe!
E que a vida é um rio que vai sempre para o mesmo destino.





Da cólera e da dor, no desamor minhas preces se foram.
Uma a uma ate não restar palavras.
Meus lábios secos de tanto pedir .
As almas tantas vezes errantes em terras distantes, se perderam em desejos e ilusões que nada acrescentou.
"Meu amado, somos fortes e juntos temos um mundo a superar" foram suas essas palavras .
Quantas outras vezes estivemos juntos ?
E por quanto tempo poderemos nos resguardar a fazer a divina tarefa?
Muitas batalhas já vencidas.
Seremos nós outra vez em prol deste mundo.
Radiando a luz, paz e o amor que Deus nós deu.
Seu amor nos conduzirá a producão de refrigério.
E quem olhar para nós entenderá que somos um só e a energia do amor transborda em matéria.
E assim quando chegar o momento seremos juntos, justiça, mansuetude, amor e felicidade.


Fui acordado aos berros.
O choro e o pedido de ajuda, acusações sem sentidos .
Sua voz autoritária  rompendo meu sono.
Ma minha inocência o susto e medo.
Meu corpo pequeno e frágil.
Sem poder reagir, pálido de medo. As feridas e as lágrimas de minha amada protetora . 
Inocente cheio de coragem. 
Avançando contra quem deveria me defender .  Estilhaços de dor voam em meu rosto. 
Feridas abertas que não se apagam. 
Em medida de desespero implorando que retome a lucidez . 
Te abraço e digo o quanto o amo . 
Em troca recebo um soco que me deixa  desacordado por horas. Ao acordar percebo que estás arrependido . 
O maior amor do mundo e a consciência voltou . 
Minhas feridas nunca pararam de sangrar . 
Mais sua conciencia regressou . E criança que sou tudo esqueci e perdôo.


Nas contradições de meu dia estou diante de verdades e mentiras . 
As mentiras que conto a mim mesmo a verdade que grita o meu coração. 
Tanta dor, desespero que muitos não entendem, e como poderiam ? 
Na mentira me escondo sou livre sou feliz . 
Ela tem um efeito temporário o que me faz sentir a felicidade sintética, a felicidade comprada . 
Minhas razões, as razões do meu choro  perdendo o sentido na distância da realidade. 
E no regresso a realidade um surto de verdades, triste dolorosa e medíocre.
De olhares de pena e famintos de prazer. 
Mistura caótica óbvia desilusão no final. 
Auto destruição segundo a segundo. 
Não é culpa de ninguém,  não foi falta de amor . 
Apenas falta de força pra pedir ajuda . Talvez por vergonha de me sentir desprezível. 
Ou por ser mesmo desprezível.
Só mais um dia ! 
Jamais pensei que seria tão difícil sorrir . 
O sorriso de verdade não machuca.
O choro ele sim pode aliviar.

Mais fácil chorar .
Postar um comentário