segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Exit


E saiu pela porta, um leve vento ao seu rosto.
Seu cabelo bagunçado, ondas jogadas ao vento, a pele estremecida;
Pálido como sempre, apertou e térreo e nunca mais voltou  .
Alguns dias antes cortou os pulsos e disse aDeus, tentativa falha.
Foi salvo e nem mesmo teve tempo de sangrar .
Algumas pessoas diziam que era apenas para chamar a atenção. Outros que era um sofrimento sem fim; a verdade era a dor sem fim que a solidão causará.
Foram repetidos velhos conselhos, sem resultado e causavam  mais dor . E naquele dia que seria mais um de sua triste rotina, encontrou apenas pessoas fechadas para a vida, e ao ver noticiário mais uma vez muita maldade e sofrimento no mundo;
Fazendo assim perder todo amor e esperança que tinha pela vida.
Agora já tinha os pulsos marcados e o coração frio.
Não queria mais caminhar pela vida .
Queria abraçar a morte para que findasse todo o sofrimento .
A melancolia tomou conta de toda sua  história.
Como sempre havia acordado cedo e feito suas orações.
Não seria o suficiente, seus olhos já haviam perdido a cor.
Tudo que existia não trazia mais a satisfação.
Arrumou suas roupas como de costume. Atendeu uma chamada de sua mae como fazia todos os dia .
Não levou dinheiro nem documentos.
Apenas saiu pela porta .
Deixou tudo para trás.

Postar um comentário